quarta-feira, 10 de junho de 2009

TRANSPARÊNCIA


Andava o homem sobre a terra, entre sonhos do querer curvado, bruscamente sobre o próprio ser, sem ver que lhe seguiam os passos, estranha figura que se arrastava pelo chão.
Aonde ia o moribundo, médico, engenheiro ou mercador, lá estava o seguidor, o não notado, o obscuro anonimato companheiro.
Um dia, por ter acordado mais cedo, bebeu da brisa, pequena medida de aragem a fé. É manhã, que bom, ninguém para me notar e não notar ninguém. Os passos ressoavam nos muros, e lá vai ele, sem rumo, espalhando com seus movimentos as folhas amarelas de outono brilhante, que no chão bailavam. Respirou profundamente, com se houvesse do útero materno saído e, ao aspirar, sentiu que algo mais saíra dele, não pela boca, mas por sua mente. Sentiu-se feliz neste instante. Percebeu o seguidor, parou e voltou-se para ele, e perguntou:
_Que fazes você a me seguir? Não percebe que vou a lugar nenhum?
_Não posso resistir, responde o seguidor, aonde vais estarei contigo, pois sou sua conseqüência meu amigo.
_Mas assim não terei descanso com você me acompanhar.
_Agora você notou-me, pois estais pronto a compreender. Não sou do mundo como você. Se estou aqui é porque aqui estais em vida longa e matéria. Eu sou tua sombra, pois você se colocou contra o sol. Se tentares me alcançar, estarás andando para trás, pois tenho a medida do tempo, distancia infinita entre você e eu; se pra frente correres estarás fugindo do que criastes e próximo do sol, da Terra, que é o meu oposto. Você me fará maior para seu desgosto.
_Que poderei eu fazer? Como resolver este impasse?
_Só há um caminho a seguir. Negue o mundo em que estás, conheça a paz do infinito, pois, estais aqui não para querer o grito, mas para a Paz servir. O caminho é dentro de ti, buscar o saber sem querer e, da fonte deixar a água fluir, oferecer sem teimar, saciar a sede do mundo nebuloso... Assim deixaras de ser nesta terra um sol preguiçoso.
_Mas se não aceitarem o que ofereço?
_Da compreensão depende o momento. Quem nega o saber que pague o preço. Quem não espalhar luz, na sombra ficará. Assim caminhe em outra direção ou fique onde estás, pois, não dependes de teu corpo para à distancia poder brilhar.
O homem sobre a Terra em sua essência se fez transparência. E a sombra se desfez, e o dia agora, é dia de paz!

Um comentário:

Gilberto disse...

O pior inimigo esta dentro de nós, camuflado, ardiloso, espreitando nossos passos errados.