terça-feira, 9 de junho de 2009

DANI, A BRUXINHA.




A intrusa amiga,
Que soube sutil invadir.
A medida do tempo indeciso
E por caminhos meus descobrir.

O não "ser" uterino,
De repente nascido,
Sorrateiro menino,
Guerreiro ungido!

Esperou o meu "ser"
Parecer distraído.
Se apoderou das sementes guardadas em mim,
Caminhou pelos campos,
Onde eu havia esquecido
E, com mãos firmes,
Cultivou-as em meu jardim!

2 comentários:

Avassaladora disse...

"Esperou o meu "ser"
Parecer distraído."

Distração fatal, meu amigo...rs

Quando percebemos já estamos invadidos pelos mais loucos sentimentos...


Mas vamos concordar que é uma doce invasão...

Lindíssimo poema!


Beijos avassaladores!

MIRO disse...

Amiga! Avassaladora!!!você acertou na veia!!!!isso é realmente maravilhoso, nos faz mais vivos e atentos a invasões maravilhosas.
obrigado pelo incentivo.